Belo Horizonte / MG - quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Dor de Cabeça e O tratamento Medicamentoso

Medicamentos normalmente são necessários para tratar um ataque, mas é importante não depender unicamente deles. A auto-ajuda é o fator mais importante no manejo geral. Os pacientes freqüentemente ficam desapontados porque os medicamentos não curam a enxaqueca. Não existe cura, mas os tratamentos com e sem medicamentos ajudam a reduzir a freqüência e gravidade dos ataques. O padrão dos ataques de enxaqueca muda ao longo dos anos, podendo haver períodos de ataques freqüentes seguidos de vários meses ou mesmo anos sem nada. Isso quer dizer que sua necessidade de tratamento pode mudar.

fr

O tratamento da enxaqueca se encaixa em duas categorias principais: aguda e preventiva (profilática). Todos os medicamentos têm efeitos colaterais (incluindo tratamentos com ervas). Mas esses são normalmente poucos se eles são tomados exatamente como prescritos. Se lhe forem receitados remédios para o tratamento agudo do ataque, não vá tomar os remédios todos os dias para prevenir os ataques. Isso pode levar a problemas de uso excessivo e pode piorar as dores de cabeça.

fr 

Tratamento agudo

fr

As drogas que você pode tomar somente quando tem um ataque de enxaqueca são chamadas de tratamento agudo. Incluem-se aí os analgésicos comprados na farmácia ou supermercado, bem como os tratamentos mais específicos para enxaqueca que estão disponíveis através de prescrição.

fr

Medicamentos vendidos sem receita

fr

Os medicamentos que não precisam de receita médica incluem os analgésicos aspirina e paracetamol. Algumas vezes, estes são associados a outras drogas para que fiquem mais potentes ou para que ajudem a reduzir a náusea. Alguns remédios são especificamente feitos para enxaqueca. O médico pode lhe aconselhar a respeito destes e como toma-los com segurança. Uma vez que há pouca diferença entre eles, a decisão de qual tomar é uma questão de preferência pessoal.

fr

Para obter o efeito máximo, tome os comprimidos, se possível, logo no início do ataque, mas nunca tome mais que o máximo indicado. Se nenhum deles ajudar ou se você precisar tomar mais do que a dose recomendada, procure seu médico. Se você está tomando os remédios para tratamento agudo dos ataques regularmente em mais de dois ou três dias por semana, é possível que o tratamento esteja piorando os mesmos.

fr

Medicações com receita

fr

Se os analgésicos por si só não forem efetivos, seu médico pode prescrever drogas contra enjôo que também ajudam seus analgésicos comuns a serem absorvidos mais eficientemente pela corrente sangüinea. Vários analgésicos que precisam de receita médica são usados na enxaqueca, especialmente quando há dor nos músculos da nuca e dos ombros durante os ataques.

fr

Esses são chamados de drogas antiinflamatórias não-esteróides (AINE). Algumas dessas medicações estão disponíveis como supositórios, que são particularmente úteis se a presença de vômitos dificulta a tomada de comprimidos. As drogas específicas para o tratamento da enxaqueca não agem como analgésicos, mas acredita-se que elas reduzem a dor de cabeça da enxaqueca estreitando os vasos sangüineos dilatados e revertendo as alterações químicas no cérebro que ocorrem na enxaqueca. Uma dessas, a ergotomina, tem sido usada por mais de 70 anos.

fr

As outras pertencem a uma nova classe de drogas, os triptanos, que estão disponíveis desde o início da década de 90. tanto a ergotomina como os triptanos podem ser muito efetivos contra a enxaqueca mas, normalmente não são necessários para todo ataque. Se a ergotomina ou os triptanos são usados para controlar os ataques, eles também devem ser tomados, se possível, bem no início do ataque, aguardando-se pelo menos uma hora após a falha de resposta de outras drogas. Seu uso não é recomendado em mulheres grávidas e que estejam amamentando.

fr 

Ergotamina ("CAFERGOT, MIGRAINE")

fr

Normalmente prescrita para pacientes nos quais os analgésicos comuns são ineficazes. Ela é um vasocontritor; isto e, contrai os vasos sangüineos. Está disponível em comprimidos (alguns deles dissolvem-se debaixo da língua) e supositórios. Um inalador, semelhante àquele usado por asmáticos, também pode ser prescrito e é particularmente útil em pacientes que se sentem muito mal para tomar os comprimidos.

fr

A ergotamina pode piorar a náusea e vômitos, particularmente se a dose é muito alta. Isso pode ser contornado tomando-se medicamentos contra enjôo ao mesmo tempo que você toma a ergotamina. Tontura e cãibras musculares são outros efeitos colaterais típicos. Se você tiver algum desses sintomas, procure tomar uma dose menor; por exemplo, metade de um comprimido ou metade de um supositório. Para dividir os supositórios, corte-os ao longo do comprimento usando uma faca quente. Para se obter o efeito máximo da ergotomina, tome-a assim que a dor de cabeça começar. A dose recomendada não deve ser ultrapassada por causa do risco de ergotismo ou dores de cabeça induzidas pela ergotomina.A ergotomina não deve ser tomada por ninguém que tenha doença coronariana ou hipertensão porque ela pode piorar essas doenças.

fr 

Triptanos

fr

Existem quatro triptanos disponíveis no momento: naratriptano (Naramig), rizatriptano (Maxalt), sumatriptana (Imigran) e zolmitriptano (Zomig). Essas drogas se ligam a partes específicas do cérebro que respondem à serotonina. Acredita-se que elas tratam a enxaqueca pela contração seletiva dos vasos sangüíneos que incham durante um ataque ao invés da ergotamina, que contrai os vasos sangüíneos do corpo todo.

Embora essa contração localizada ocorra em pacientes com enxaqueca que afora isso são sadios, algumas pessoas não devem tomar os triptanos. Isso inclui pessoas com doença cardíaca coronariana ou hipertensão mal controlada.

fr 

Qualquer pessoa com risco de doença cardíaca, como um parente próximo teve um derrame ou um ataque cardíaco muito jovem, fumantes e diabéticos devem ser cuidadosamente examinados pelos seus médicos antes de tomar um triptano. Os efeitos colaterais típicos incluem náuseas, tontura, fadiga e sensações de peso em qualquer parte do corpo.

fr

A recorrência da dor de cabeça é um outro problema - o ataque de enxaqueca é tratado eficientemente, mas os sintomas voltam mais tarde no mesmo dia ou na manhã seguinte. Isso normalmente pode ser resolvido com uma dose adicional de um triptano mas pode acontecer repetidamente por vários dias, particularmente com ataques de enxaqueca menstruais.

fr

Embora os estudos surgiram que os triptanos são eficazes quando tomados a qualquer momento do ataque de enxaqueca, eles são provavelmente mais eficazes se tomados logo no início da dor de cabeça. Aparentemente, existe pouco benefício de se tomar o triptano no início da aura da enxaqueca clássica - assim sendo, é melhor esperar e tomar o triptano quando a dor de cabeça surgir.

fr 

Sumatriptano (IMIGRAN)

fr

O sumatriptano foi o primeiro triptano a ser desenvolvido e encontra-se disponível em comprimidos, injeção de auto-administração e spray nasal. O sumatriptano não deve ser tomado conjuntamente com a ergotamina, outros triptanos ou certas medicações antidepressivas. Ele deve ser evitado por pacientes com uma sensibilidade a sulfonamidas.

fr

Naratriptano (NARAMIG)

fr

O naratriptano só é encontrado na forma de comprimidos. Uma segunda dose só deve ser usada se a enxaqueca respondeu à primeira dose mas os sintomas retornaram. O naratriptano tem uma ação mais lenta que o sumatriptano mas tem menos efeitos colaterais. Deve ser evitado por pacientes que têm sensibilidade a sulfonamidas e aqueles que usam metisergida como tratamento preventivo. O naratriptano não deve ser tomado conjuntamente com a ergotamina ou outros triptanos.

fr

Rizatriptano (MAXALT)

fr

O rizatriptano é disponível em comprimidos e na forma de pastilha com sabor de hortelã que se dissolve na boca. A pastilha é útil quando a náusea ou os vômitos são um problema, porém o efeito não é tão rápido como o comprimido. Uma segunda dose só deve ser tomada se os sintomas da enxaqueca retornarem depois de uma resposta inicial. Uma dose menor deve ser usada naqueles pacientes tomando propanolol. O rizatriptano não deve ser tomado conjuntamente com a ergotamina ou outros triptanos e deve ser evitado por pacientes tomando certas medicações antidepressivas.

fr

Zolmitriptano (ZOMIG)

fr

O zolmitriptano só está disponível em comprimidos. Sua vantagem sobre os outros triptanos é de uma segunda dose pode ser tomada quando a primeira não funcionar. O zolmitriptano não deve ser tomado conjuntamente com a ergotamina, outros triptanos e, uma dose menor deve ser usada por pacientes que usam inibidores da monoamino oxidase para a prevenção da enxaqueca ou da depressão. Seu uso deve ser evitado por pacientes com certos defeitos no ritmo cardíaco tais como a síndrome de Wolff-Parkinson-Whitte.

fr

Tratamento preventivo

fr

Se você tem enxaquecas freqüentes que interferem em seu trabalho ou em sua vida social, seu médico pode sugerir que você inicie um tratamento diário com medicamentos para prevenir os ataques. Essas medicações preventivas, ou profiláticas, ajudam a quebrar o ciclo de modo que os ataques fiquem sob controle mesmo quando o tratamento para.

fr

O tratamento profilático não é uma alternativa para tratar um ataque, assim sendo, você deve tomar sua medicação habitual para qualquer ataque que venha a ocorrer. Existem muitos tratamentos medicamentosos diferentes disponíveis, mas poucos deles são feitos especificamente para a enxaqueca. Os mais comuns estão listados no quadro a seguir.

fr

Não fique surpreso se seu médico sugerir que você tome remédios normalmente prescritos para o tratamento de pressão alta ou depressão. Estudos têm demonstrado que várias dessas drogas são, de fato, eficazes no tratamento da enxaqueca, mesmo que a pessoa não tenha pressão arterial elevada e não esteja deprimida.

fr 

Pergunte ao seu médico quais são os efeitos colaterais que você pode esperar. Eles são normalmente mínimos e a maioria das pessoas os toleram se há alivio das enxaquecas. Dê um tempo para que o tratamento tenha efeito, uma vez que freqüentemente as pessoas param de tomar os medicamentos antes que eles tenham uma chance de funcionar. Após três ou quatro semanas, você deve notar uma melhora. Caso contrário, volte para seu médico.

fr

Talvez o que seja necessário é um pequeno ajuste na dose ou seu médico pode lhe recomendar um tratamento diferente. Se você está insatisfeito tomando os comprimidos diariamente, fale com seu médico. É melhor discutir alternativas do que ir embora com uma prescrição que você não vai usar.

fr

Medicamento preventivos usados no tratamento dos ataques de enxaqueca

fr

Existem vários medicamentos diferentes que podem ser usados para prevenir a enxaqueca. Todos eles têm efeitos colaterais potenciais, alguns são leves e outros mais graves, que seu médico discutirá com você.

fr

Amitriptilina

fr

Um antidepressivo pode ser útil se a depressão está presente. Efeitos colaterais possíveis: boca seca e sedação, particularmente nas primeiras 2 semanas.

fr

Bloqueadores beta

fr

Metoprolol, nadolol, propanolol e timolol podem ajufar, especialmente se os pacientes estão ansiosos ou sob stress. Efeitos colaterais possíveis: fadiga, alterações do sono e extremidades frias.

fr

Ciproheptadina

fr

Um anti-histamínico. Efeitos colaterais possíveis: tontura e sedação.

fr

Metisergida

fr

Um derivado do ergot. Normalmente administrado em ambiente hospitalar.

fr

Pizotifeno

fr

Tem propriedade anti-histamínica, anti-serotoninérgica e antidepressiva. Efeitos colaterais possíveis: sedação e aumentos do apetite com ganho de peso.

fr

Valproato de sódio

fr

Tem propriedades antiepiléticas. Não é indicado para gestantes ou pessoas com problemas hepáticos. Efeitos colaterais possíveis: tontura, alterações gastrointestinais, perda de cabelo e tremores.

fr 

Outros tratamentos

fr

O tratamento de variedades menos comuns de enxaqueca é o mesmo daquele para a enxaqueca clássica e a comum. A dor de cabeça tipo "cluster" é mais difícil de tratar que a enxaqueca porque a dor é mais grave e porque freqüentemente cada ataque dura por um tempo relativamente curto - muito curto para que os analgésicos usuais possam fazer efeito. O sumatriptano administrado através de injeções subcutâneas foi efetivo em 70% dos ataques.

fr

O tartarato de ergotamina em doses de um miligrama duas vezes por dia durante o surto pode ajudar. Outros tratamentos preventivos são prednisona e lítio. Todos esses tratamentos estão disponíveis através de receita médica. Se nenhum desses tratamentos for efetivo pode-se tentar a inalação de oxigênio a 100%: dado numa velocidade de sete litros por minuto isso alivia os sintomas em cerca de 80% dos ataques.

fr

Aine

fr

Medicações antiinflamatórias não-esteróides (AINE) não são normalmente usadas para a prevenção de enxaqueca, embora possam ser ocasionalmente prescritas para a enxaqueca menstrual. Um tratamento de AINEs pode, contudo, ser recomendado para pacientes com a dor de cabeça por uso impróprio de medicação.

fr 

Pontos centrais

  • O tratamento medicamentoso da enxaqueca consiste em duas categorias - aguda e preventiva.
  • Os medicamentos do tratamento agudo devem ser tomados o mais cedo possível, no início do ataque.
  • Os medicamentos do tratamento preventivo podem levar duas a três semanas para produzir efeito.
  • Se um tratamento medicamentoso não funcionar; talvez sua dose necessite ser ajustada pelo seu médico ou você precisa de um tratamento diferente.
  • A dor de cabeça do tipo "cluster" pode ser tratada com 100% de oxigênio.

Fonte: ISTOÉ - GUIA DA SAÚDE FAMILIAR - volume 2 "ENXAQUECA E DORES DE CABEÇA" paginas 61 a 70